quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Viana do Castelo Não Quer Touradas

Viana do Castelo foi declarada "Cidade Anti-touradas" em 2009. Desde aí até à até presente data que não mais se realizaram touradas neste concelho, nem na praça de touros fixa da cidade - que foi comprada pela autarquia, com objectivos que não passam pela realização de espectáculos de violência para com os animais -, nem em recintos itinerantes.

A indústria tauromáquica tem feito de tudo para que os espectáculos tauromáquicos voltem a este município, mas sem sucesso.

Recentemente, uma federação de associações tauromáquicas, que nunca antes havia organizado corridas de touros, resolveu tentar a sua sorte como promotora de uma, precisamente em Viana do Castelo.

Perante a não-autorizção da montagem do recinto por parte do Município, a dita federação intentou uma providência cautelar e tudo continua em aberto.

Noticia Público, 14/08/2012: 

Oposição à tourada em Viana soma meio milhar de mensagens de apoio em dois dias


Segundo avançou hoje à agência Lusa fonte da autarquia, estas mensagens estão a chegar sobretudo por correio electrónico e, além de Portugal, são provenientes também de Espanha - inclusive da região da Catalunha -, México, Argentina, Costa Rica, Peru, Colômbia e Brasil. 

A mesma fonte sublinhou mensagens de apoio recebidas do Movimento Internacional Anti-touradas e da direcção da Fundação Franz Weber, alemã e uma das mais activas na defesa dos direitos dos animais. 

Em causa está a realização, neste domingo, de uma corrida de touros em Viana do Castelo, município que em 2009 adquiriu a Praça de Touros da cidade e que aprovou, no Executivo, uma declaração assumindo-se como “anti-touradas” e em defesa dos direitos dos animais. 

A organização pertence à “Prótoiros”, federação que reúne as várias associações do sector tauromáquico em Portugal e que anunciou pretender “acabar com o regime de censura cultural” que diz existir no concelho há mais de três anos. 

Entretanto, a Câmara deduziu esta semana oposição à decisão do Tribunal Administrativo e Fiscal de Braga (TAFB), que autorizou a instalação da arena, alegando violação do Plano Director Municipal (PDM) se isso se concretizar. 

O presidente da autarquia, José Maria Costa, afirma estar “seguro que não haverá tourada” em Viana do Castelo, apesar da suspensão do indeferimento da autarquia à instalação da arena, pelo TAFB, depois de uma providência cautelar interposta pela “Prótoiro”. 

Segundo a oposição deduzida pelo município com regime de urgência, a instalação do recinto no local previsto, uma zona de emparcelamento agrícola junto à costa, configura um “desrespeito pelo ambiente e pelo ordenamento do território” e por isso o pedido foi indeferido a 2 de Agosto. 

Os terrenos em causa, na freguesia de Areosa, cidade de Viana do Castelo, estão classificados como Reserva Agrícola Nacional (RAN) e Reserva Ecológica Nacional (REN) e como tal não podem receber qualquer instalação do género, à luz do PDM, aprovado em 2008. 

Segundo a direcção da “Prótoiro”, a decisão do tribunal, de permitir a instalação da arena - o evento em si já está licenciado pela Inspecção-geral das Actividades Culturais e Sociedade Portuguesa de Autores -, foi tomada “já com conhecimento” dos motivos invocados pelo município para o indeferimento. 

Além das questões legais, José Maria Costa mantém a declaração, aprovada em Fevereiro de 2009, apenas com os votos favoráveis do PS, assumindo a cidade “anti-touradas”.

“São manobras de diversão. Infelizmente ainda não perceberam que não bem-vindos a Viana do Castelo”, atirou ainda o autarca. 

Vídeo com entrevistas a vianeneses: 

Sem comentários:

Publicar um comentário