sexta-feira, 24 de julho de 2009

16 - Touradas à portuguesa - O sofrimento dos Touros

O sofrimento dos touros começa antes da lide. O transporte da ganadaria para a praça é stressante ao ponto de lhes provocar uma perda de cerca de 10% do seu peso. Sem recurso a qualquer anestesia, são-lhes cortadas - numa zona sensível de terminais nervosos - as pontas dos chifres, que são, de seguida, limados a sangue frio, o que lhes provoca dor e stress e os debilita tremendamente. São obrigados a permanecer várias horas nos curros ou no interior das viaturas que foram utilizadas para o seu transporte, em espaços exíguos e no escuro. São conduzidos com aguilhões e à paulada.

É, pois, apavorados, fortemente enfraquecidos e feridos que os touros entram na arena.

Na arena, os touros são toureados, cada um dos 6 ou 7 por corrida, por um cavaleiro tauromáquico que lhes crava entre quatro a oito ferros, com grandes e afiados arpões na ponta. Esses arpões perfuram-lhes o corpo, provocando-lhes profundas e dolorosas hemorragias e dilacerando-lhes músculos e tendões - fazendo-os perder litros de sangue que jorram através dos ferimentos que lhes são perpretrados. É ainda habitual entrar em cena um bandarilheiro que os cansa ainda mais. Nesta fase, o seu estado é: febril, brutalmente enfraquecido, confuso e muito assustado. Exauridos, são ainda desafiados pelos forcados, 8 homens que, não obstante as lastimáveis condições em que eles já se encontram, os atacam, puxando-os, empurrando-os, pontapeando-os, esmurrando-os, e puxando-lhes o rabo. Após a pega, já fora do alcance da vista do público, as bandarilhas são-lhes arrancadas à força, o que lhes provoca enormes buracos e feridas e um sofrimento-atroz marcado por ensurdecedores berros de dor.

Resta, então, à esmagadora maioria dos touros, aguardar um ou dois dias - em tremenda agonia - pela abertura do matadouro que lhes for destinado. Durante esse período de espera desesperante, debilitados por severos ferimentos, graves infecções e febres altíssimas, eles vão sangrando e estremecendo em convulsões...

Até que, por fim, o sofrimento termina. Termina, pelo pior dos motivos – a morte!

20 comentários:

  1. De facto, só alguém mal informado ou completamente insensivel pode aprovar as touradas.

    ResponderEliminar
  2. Confesso que fiquei comovida ao ler estas informações sobre a maneira como os touros são tratados. Não imaginava que lhes doía quando lhes serram os cornos e fiquei com uma dúvida que peço a alguém que me esclareça. Porque é que as bandarilhas não são tiradas ao bicho só depois da morte, já que lhe dói assim tanto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque o sofrimento do touro não é algo que os tauromáquicos levem em consideração, caso contrário NÃO havia touradas, já que não servem nenhuma necessidade humana. Não passa de violência gratuita apenas para satisfazer o ego demente de alguns.

      Eliminar
  3. Os taurinos são uns sanguinários e estão-se nas tintas para se o touro sofre, ou não. Se as bandarilhas forem deixadas até ao abate, o touro vai-se abanando e tentando retirá-las pelo que o magoam, fazem-no perder cada vez mais sangue e debilitam-no cada vez mais. Se forem retiradas logo após ser lidado o sofrimento é atroz. Mas os taurinos nem, sequer, pensam no que será melhor para o touro, obviamente. Acredito que para eles a questão se resuma ao receio de que algum empregado do matadouro lhes roube as bandarilhas e que seja por isso que as retiram logo após a corrida, e também porque são tão sádicos que esse episódio, que será talvez o de maior sofrimento para o touro, lhes dá prazer. Poderiam, pelo menos, aplicar uma anestesia local antes de retirarem as bandarilhas aos touros, mas isso custa dinheiro e, afinal, reduziria o nível de dor e eles gostam de ver o touro a sofrer. Era fazer-lhes o mesmo para ver se eles gostam: espetá-los e depois retirar-lhes as bandarilhas a sangue frio.

    ResponderEliminar
  4. Olá Inês. Estas informações sobre como os touros são tratatos até estão muito suaves. Deve ser bem pior do que isto aquilo que os touros passam nas mãos de pessoas sádicas e sem qualquer respeito pelo próximo.

    ResponderEliminar
  5. Os touros não sofrem. Será que vocês não entendem que eles só nasceram para isto e que tem uma vida tão fixe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quer trocar com o touro de lide numa próxima vida? Acho que precisa , acha que o touro urra de prazer quando é arpoado????. Outra forma será infligir a si próprio no lombo um objecto perfurante com dimensão proporcional para saber se há dor ou não. Claro que o ideal era colocar um humano exactamente nas mesmas condições, numa arena cheia de imbecis a gritar, trompetes estridentes, cavalo com um cobarde lá em cima a picá-lo.Ah, esqueci-me , esse humano seria munido de um valente par de cornos , mas cortados na ponta.

      Eliminar
  6. Os touros têm sistema nervoso central e periférico. Por isso, a perfuração do seu corpo pelas bandarilhas, que faz parte das touradas à portuguesa, tal como aconteceria aos humanos provoca-lhes um estímulo cuja sensação é recebida por terminais dos nervos, nervos que, por sua vez, enviam sinais as sistema nervoso central. Esta transmissão de informação envolve uma série de neurónios no interior do sistema nervoso central e há áreas do cérebro que recebem a informação que processam. Qualquer lesão dos tecidos num animal vertebrado, que tem encéfalo, medula espinhal e sistema nervoso periférico, seja num humano, seja num touro, provoca dor. Quando os touros são brutalmente espetados, tal como aconteceria com os humanos, isso provoca-lhes uma dor aguda. Parece-me, pois, que é evidente que os touros sofrem durante as corridas de touros portuguesas uma vez que sentem dores profundas. Não vou entrar no campo do sofrimento psicológico porque acho que o que acabei de referir já responde ao anónimo das 19:22.

    ResponderEliminar
  7. Neste Natal vou pedir ao menino Jesus que as touradas acabem!

    ResponderEliminar
  8. Os touros não têm Natal. Pelo menos não costuma haver touradas de Natal. Há a porcaria dos circos, que é um espectáculo identico.

    ResponderEliminar
  9. só quero acrescentar duas coisas: a 1ª é o laxante (muitas vezes misturado com um diurético) que deixa o animal em avançado estado de desidratação; a 2ª é explicar que outra das funções das bandarilhas é ir rasgando os músculos que sustentam a cabeça, para que as investidas do touro vão perdendo a perigosidade ao longo da corrida. É muito fácil perceber que o touro vai perdendo o porte altivo e mantendo a cabeça cada vez mais baixa durante a lide.

    ResponderEliminar
  10. E há ainda pior, todos o sabemos...

    ResponderEliminar
  11. É horrivel :((

    Bom Natal.

    ResponderEliminar
  12. Tanto os touros e os cavalos sofrem,o cavalo é de medo e o touro é de setas.Os homens que fazem esse sofrimento deviam de ser eles a sofrer, porque vão desrespeitando o direitos dos animais, não concordo com as touradas, sou contra e era o que todas as pessoas deviam de pensar também.

    ResponderEliminar
  13. Boa noite, fiquei estupefacta com os erros factuais aqui ditos sobre as corridas. Sim os toiros sofrem e sentem, mas muitas das informações aqui escritas, estão erradas. Podem não acredito, mas ando na vida dos toiros à muitos anos e lhe garanto que nem tudo o que pensam ser verdade, assim se comprovam.
    Os aficionados que a cima referiram que o toiro não sofre, obviamente andam nisto à dois dias, pois como qualquer mamifero e animal de sangue quente, com snc, o toiro sente e sofre, obviamente. O que está mal, é como os toiros são tratados após a sua lide, a forma como os forcados o tratam, não é inteiramente como foi descrita.
    Nem todos os toiros vão para o matadouro, compreendo que não saibam desse promenor, mas é um facto.
    (já agora, não se diz uivos, mas diz urros. é apenas um aparte)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, anónima. Este texto não é um dos mais felizes que publicámos até hoje, reconhecemos. É uma adaptação nada bem conseguida de um outro texto de autor desconhecido, a escrita deixa bastante a desejar, e faltam alguns detalhes importantes. No caso dos forcados, não referimos, por exemplo, que quando estes caem em cima dos bovinos, fazem, muitas das vezes, com as farpas provoquem ainda mais rasgões. Sobre os touros não irem todos para o matadouro, sabemos que alguns são, por exemplo, aproveitados para futuras largadas, e sabemos que, entre estes, alguns morrem até lá devido às infecções que se seguem ao arrancar das farpas (por vezes, ficam pormenores importantes por referir que não são necessariamente sinónimo de ignorância). Sobre o seu aparte, costumamos reconhecer humildemente as nossas falhas e já alterámos de "uivos" para "berros", ficando-lhe gratos pelo seu comentário e por esta chamada de atenção.

      Eliminar
  14. Quem escreveu isto sobre touros, percebe tanto de touros como eu percebo de naves espácias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande LOL. E pesam os bixos e assim para saber quanto peso perdem. É só gente doida...

      Eliminar
  15. a tourada é tortura, tortura desde a colocação das embolas, passando pela lide, ate ao pós-lide...tortura, não adianta usar palavras mansas TORTURA. Finalmente, e para quem não sabe, aqui fica o significado da palavra TORTURA: "Tortura é a imposição de dor física ou psicológica por crueldade... ou simplesmente por prazer da pessoa que tortura." Carla Silva

    ResponderEliminar
  16. Como é possível haver quem ainda diga que os Touros não sentem nada!O que é vocês pensam?Que as pessoas são Parvas?Peçam a alguém para vos cravar um andarilho nas costas,só assim podem afirmar se sofrem ou não.Quem diz essas MERDAS tem de ter muito mau íntimo!Não velem nada,nem merecem o respeito de ninguém.São uns FILHOS DA PUTA que nem deviam ter nascido.Deviam era estar bem caladinhos e assistir ao video no YouTube do Touro Fadjen que foi adoptado(aos 2 ou 3 meses)por alguém que merece tudo de bom e é muito mais feliz que aqueles que dizem essas barbaridades.

    ResponderEliminar